Quinta, 20 de Janeiro de 2022
(99) 98826-8130
Anúncio
Política Politica

PSB reclama do PT não quer ceder: ‘Relação de mão única não é uma boa solução’

O presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, afirmou nessa segunda-feira (20),

20/12/2021 20h32
35
Por: Redação
 PSB reclama do PT não quer ceder: ‘Relação de mão única não é uma boa solução’

O presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, afirmou nessa segunda-feira (20), ao Valor, que nenhuma das demandas encaminhadas pelo partido à direção nacional do PT, para que as duas siglas caminhem juntas nas eleições de 2022, foi atendida na reunião com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

“O PT precisa escolher qual conquista eles querem alcançar nas eleições do ano que vem: se é a Presidência da República, ou se querem disputar os Estados”, criticou Siqueira. “Relação de mão única não é uma boa solução. “É preciso haver concessão. Quem quer tudo pode ficar sem nada”, avalia o presidente do PSB”, completou.

Conforme informou o Valor, Siqueira reuniu-se nessa segunda com Lula em São Paulo. Na pauta, a formação de uma federação partidária unindo PT, PSB, PV, PCdoB, Rede e PSOL. E a provável filiação do ex-governador Geraldo Alckmin ao PSB, para compor a chapa presidencial do PT na vaga de vice de Lula.

Também estavam na reunião a presidente do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), e o ex-prefeito Fernando Haddad, que pleiteia a cabeça de chapa da eventual federação na disputa ao governo de São Paulo. A pretensão de Haddad esbarra na do PSB de lançar o ex-governador Márcio França na disputa ao Palácio dos Bandeirantes, também como cabeça de chapa da eventual federação de esquerda.

Em troca da filiação de Alckmin, que seria o vice na chapa de Lula, o PSB pleiteia o apoio do PT aos candidatos da legenda ao governo de seis Estados: São Paulo, Pernambuco, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Acre e Rio Grande do Sul.

Sobre a reunião da cúpula do PSB com Alckmin no domingo, antes do jantar em homenagem a Lula, Siqueira disse ao Valor PRO que deixou claro para o ex-tucano que as portas do partido estão abertas para recebê-lo, se essa for a decisão dele. Na conversa, Alckmin não deu prazo para anunciar em qual legenda vai se filiar. Do Valor Econômico.

 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.